sábado, 18 de junho de 2016

Finalmente, sábado!

Na esperança de um fim de semana solarengo, a chamar pelo verão que tarda, estou no sábado por minha conta e risco - fico pelas tarefas domésticas, "(...) coisas de gaja" ,  diz quem recebe  as minhas lamúrias, embora eu acrescente, como remate de conversa, que a dita (conversa) se limita à constatação de uma realidade, nada sexista, sim senhor. 
Isto de dizer e fazer coisas que certos "machões" empurram  para as obrigações femininas  não faz parte da minha filosofia "democrática". No  caso,  a não ser eu, só as minhas gatas poderiam dar uma ajuda na limpeza da casa, o que recusam por omissão. Falo, falo, mas nada - pelo contrário, todos os dias "nascem pelos" em tudo quanto é sítio. Coisas de gatas, claro...
Dizia:  estou no sábado por minha conta e risco. Assim, tento (?)  esquecer a semana  que passou, cheia como um ovo  de pequenas e insignificantes  chatices (mas emocionalmente desgastantes...) no desempenho de funções na autarquia do meu sítio. Contentar os "fregueses", satisfazendo  os seus direitos, é como se  uma moeda tivesse  apenas essa face, a dos direitos.  Todas as moedinhas têm dois lados, "direitos  e obrigações", mas ...
O que vale amanhã é domingo, dia de marchinhas populares - é mais uma oportunidade para "marchar" com as minhas obrigações de autarca. 
Hoje fico-me  pelos meus direitos,  por ser sábado...