quinta-feira, 19 de maio de 2016

Como se constrói um arranha céus

Hoje, dia 19,  é o dia da Carla; no passado dia 17 foi o dia do Carlo. 
À Carla, quando nasceu, acrescentámos Manuela, nome da mãe. 
O Carlo (e não Carlos...) tem  Nuno no nome. 
Entre os dois há uma diferença de um ano e dois dias nas certidões de nascimento. 
Ambos são quarentões, mas pouco. 
Os dois têm dois filhos pela mesma ordem de nascimento: primeiro veio o menino, depois a menina. Gonçalo e Mariana, Francisco e Leonor.
Ambos são Fonseca Ramos, como a Ivânia e o Hugo...
A Rita,  primeiro é Ana e assina  Bravo, com   Ramos no fim . É trintinha  no cartão de cidadão e ainda não me deu netos...
Os cinco têm as suas metades, lindas por fora, maravilhosas e encantadoras  por dentro.
... E assim se ergue um arranha céus com vista  panorâmica para o futuro.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Satori e o príncipe encantado


Olá - eu sou a "Satori", e sou chamada assim por causa da minha dona Rita, que me adotou quando eu era uma "menina" sem graça.
"Satori", é um (...) termo japonês budista para iluminação. A palavra significa literalmente "compreensão" (...) - disse o pai da Rita, com quem agora moro, por ter lido na Wikipédia, e eu acredito, mas gosto mais quando me chama de "princesa"....
Sempre fui muito ladina, brincalhona e chata, principalmente quando estou "naqueles dias" em que me apetece fugir para o quintal, conhecer "mundo" e, quem sabe, um "príncipe encantado".
Estava eu a falar do meu sonho: encontrar um "príncipe encantado" - encontrei-o agora !
Na semana passada eu e a minha "prima" "Banzi", que já foi mamã, repetimos o passeio matinal pelo jardim cá de casa. De repente, parei de correr: a meia dúzia de "passos" estava um gatão a sério, lindo como nunca tinha visto! "Cumprimentei-o" com um dos meus miaus mais doces e ele retribuiu com um miau grosso, de "pessoa crescida". O meu dono, como sempre, estava logo atrás mas não disse nada - nem sequer me mandou de volta para casa:
- "Satori", vamos para dentro...
Não sei o que se passou pela cabeça dele, do meu dono, mas a verdade é que quando olhei, tinha-se afastado, deixando-me ali, enamorada, trocando "conversas" que nem  sei bem como explicar...
Quanto a intimidades, desculpem, disso não "falo" - é um assunto privado.
... E foi assim que conheci o "meu príncipe encantado", de quem mostro uma fotografia para confirmarem o meu bom gosto.