sábado, 25 de fevereiro de 2017

"Princesa bailarina"

- Nônô -

A bailarina

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.

Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá

Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.

Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.

Cecília Meireles

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

A Carla...



movimenta-se pelos corredores do hospital  leve como uma pluma. 
A Carla espalha sorrisos e  palavras amigas, de conforto. 
A Carla, além dos sorrisos, das palavras 
e da leveza de movimentos, 
toca-nos a alma com as pontas dos dedos 
- massaja-nos o coração. 
A Carla assume-se de corpo inteiro  à  arte sublime de cuidar do seu semelhante pelo gosto de gostar da sua profissão de enfermeira...
... e nós ficamos assim, sem palavras no  momento de dizer obrigado.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

"Branco é, galinha o põe" - a curva da vida

Este texto  foi partilhado por um amigo que muito estimo, Luís Moura. Agora, faço dele "coisa minha" - cá por coisas, coisas minhas, de  quem "se/tenta"  na curva da vida.
Ao que presumo,  é de autor desconhecido, o que não invalida  que confirme em absoluto esta  "verdade de La palice". 
"Branco é, galinha o põe" - para citar um provérbio "tuga"  -   fiquemos por aqui, pelas palavras...
- Há  lá coisa mais "perfeita" ?