quinta-feira, 9 de março de 2017

O "Manel" do talho

O vendedor de automóveis mostrava um dos modelos do catálogo, com ele à mão de semear…
- Pode entrar, espreite, é extramente cómodo.
- Não vale a pena, estou muito bem servido com o meu Toyota…
- Isso é um carro que nunca mais acaba!
Concordei. Mais palavra, menos palavra, e chegámos à despedida, não sem antes ser presenteado com todos os contatos do meu ocasional parceiro de conversa -“se quiser dar uma volta…. não, não obrigado… “.
- Bom, tenho de ir -foi um prazer conhecê-lo. Até chegar à Lousã  ainda  vou visitar alguns clientes.
- Mora na Lousã?
- Moro. Não sou de lá, mas é como se fosse – casei lá.
- Sabe quem é o “Manel” do talho?
- Claro, quem não conhece o senhor “Manel”? É uma excelente pessoa, tem feito bem a muita gente. É uma figura muito estimada na Lousã. Esteve no clube, na Santa Casa...
O vendedor de automóveis ficou sem pressas e folheou memórias, com o “Manel” do Talho dentro delas…
- Também conhece o senhor “Manel”?
- Conheço, somos amigos. Tem toda a razão, é como diz - uma excelente pessoa. Aliás, toda família é excelente. Além de amigos, somos compadres….
O vendedor de automóveis, a esta hora, já deve ter chegado a casa …

quarta-feira, 8 de março de 2017

Torradinhas com manteiga


...por ser hoje e todos os outros dias 
o "dia universal de todas as mulheres"
*
Madrugou o dia tão sereno como a alma de qualquer justo. 
Abri as janelas  e deixei entrar o sol - está tudo  perfeito, até o mundinho minúsculo, que faço meu, como se fosse único. E é, só meu e único!
O galo dos vizinhos desperta a manhã silenciosa e faz dela, 
da manhã silenciosa,
um tempo perfeito - o canto do galo é perfeito. 
...Mais do que perfeito, sem silêcncios, seria a voz dela ao pequeno almoço a dois, com torradinhas morenas barradas  com manteiga, servidas  em sorrisos de Lalique.
Sem ela, 
a voz, 
restam as torradinhas morenas barradas com manteiga.

terça-feira, 7 de março de 2017

"Que nunca mais pare quieto"


Por "defeito" vi a final do Festival da Canção da RTP e ainda bem - fiquei a conhecer o Salvador Sobral, o vencedor,  e fiquei fã. 
Depois, fui saber mais sobre  esta personalidade  que, goste-se ou não da canção "Amar Pelos Dois", do estilo e da voz do intérprete, fica na  história  dos festivais como "espécie rara" da simplicidade.Tiro o meu chapéu ao Salvador, como já inha feito à irmã Luisa...
Li no "Público" - com a devida vénia, faço das palavras coisa minha:
"Salvador Sobral é esse artista desde que o ouvi cantar pela primeira vez. Fez-me logo lembrar, pela sensibilidade e pela abertura musical, o jovem Frank Sinatra quando tinha a mesma idade.
Não é preciso acesso às gravações: basta vê-lo no YouTube em qualquer fase da carreira dele. Acompanhamo-la a apanhar as músicas e a torná-las dele e de quem as ouve. É maravilhoso ver como ele se surpreende com o próprio talento, deixando--se enlevar e levando-nos com ele.
Viva Salvador Sobral! Que nunca mais pare quieto".